“Os empregados trabalham apenas o suficiente para não serem demitidos e os empregadores pagam apenas o suficiente para os trabalhadores não irem embora”.

Essa frase do autor Robert Kiyosaki define muito bem a triste realidade dos trabalhadores e dos empresários.

É fácil imaginar que essa visão de mundo cria um enorme impacto negativo nos resultados financeiros dos trabalhadores e dos empregadores. As pessoas produzem menos e consequentemente ganham menos. As empresas pagam salários menores por terem que contratar dois para fazer o trabalho de um. A baixa renda das pessoas e a baixa produtividade das empresas prejudica a economia de todo país. Isso cria um círculo vicioso de pobreza que se perpetua.

As pessoas justificam o comportamento de só fazerem o suficiente, pelo fato dos empregadores só pagarem o suficiente. Já os empregadores usam as mesmas justificativas. Os dois lados são prejudicados por esquecerem de uma das principais leis do dinheiro, segundo o autor Robert Kiyosaki. Veja um trecho retirado do seu livro:

Isso não é originalmente uma lei do dinheiro, mas uma lei universal que gere todas as áreas da vida humana e que está presente em várias correntes do pensamento (filosófico, religioso, etc). Como a vida financeira é uma dessas áreas e a lei é universal, é natural que ela também faça feito.

Fazer um trabalho acima do suficiente não tem relação com trabalhar mais, tem relação com trabalhar melhor, fazer bem feito gastando o mesmo tempo e a mesma energia que você gastaria fazendo mal feito. Muitas vezes, fazer mal feito achando que está fazendo o suficiente é uma ilusão, pois o mal feito gera retrabalho. Nada mais frustrante, para quem só faz o suficiente, do que o retrabalho para fugir da demissão.

A concorrência no nível das pessoas incompetentes e improdutivas é enorme. Se você tomar a decisão de competir no mesmo nível dos que só fazem o suficiente, estará perdido na sua profissão.

As pessoas estão seguindo a lei do menor esforço, fazendo o mínimo possível para não serem demitidas. São poucos aqueles que conseguem perceber que para sair desse patamar de concorrência e se destacar, é necessário fazer um esforço. O mais curioso é que esse esforço é bem pequeno. Como a média é muito baixa, qualquer esforço pequeno faz você ficar acima da média.

O mesmo pensamento vale para quem é empreendedor ou profissional liberal. Se as empresas estão fazendo o mínimo esforço possível para que os clientes continuem comprando, e você faz a mesma coisa, a concorrência será grande. Você estará concorrendo no mesmo nível de serviços medíocres no patamar da lei do menor esforço.

No Brasil, em muitas atividades profissionais e empresariais, não é necessário ser excepcional, basta fazer o que é esperado pelo cliente, da forma correta e no prazo correto. Fazendo o básico bem feito, sua empresa estará acima da média. Isso impactará seus resultados financeiros. Se você morasse em um país desenvolvido, onde as pessoas e as empresas são extremamente preparadas e competentes, onde a concorrência melhora a cada dia, você teria que se reinventar constantemente. Não é nossa realidade, estamos no Brasil e a única coisa que você precisa fazer é fazer a coisa certa, pois todos estão fazendo somente o mínimo necessário.

Vou dar um exemplo bobo. Não faz muito tempo que fiz uma viagem com a minha família e ao chegar no hotel, naquele momento do check-in, uma funcionária do hotel se aproximou e nos ofereceu potinho com salada de frutas gelada. Não existia nada de especial, eram só frutas comuns e baratas cortadas em cubinhos como banana, melão, mamão, melancia e uvas em uma embalagem simples. Era algo muito parecido com isso:

A viagem para chegar neste hotel era longa e a maioria dos hospedes entravam no hotel no horário do almoço. Aquele pequeno lanche era muito bem-vindo. Fiquei imaginando…. Quanto custa para um hotel daquele porte pedir para que um dos seus funcionários sirva uma pequena quantidade de salada de frutas para todos que estão entrando no hotel naquele horário de almoço?

Certamente era a mesma salada que foi servida no café da manhã do hotel, ou seja, o trabalho de preparar um pouco mais de salada era insignificante. Só que o impacto que essa gentileza produz é enorme. Antes de visitar este hotel eu já tinha me deparado com fotos compartilhadas na internet por outros hospedes onde apareciam comendo a mesma salada.

Essas gentilezas são comuns em bons hotéis pelo fato do negócio deles estar baseado na hospitalidade. Bons hotéis são aqueles que estão sempre se aperfeiçoando na arte de acolher bem, de receber bem e surpreender seus hospedes com momentos agradáveis. As demais empresas deveriam perceber que a hospitalidade é a base em toda prestação de serviço e comércio. Esse modo de operar deveria ser copiado por todos. Existem hotéis que presenteiam seus hospedes com garrafas de água como cortesia, pequenos chocolates e coisas de valor material insignificante, compradas em grande quantidade no atacado ou até negociadas como grandes marcas como brindes. Nem todo empresário é capaz de compreender o impacto positivo deste tipo de ação nos resultados futuros da empresa.

Quantas pequenas gentilezas, pequenas coisas que você poderia fazer no seu ambiente de trabalho, junto aos seus colegas de trabalho, superiores ou perante seus clientes que teriam um custo insignificante de tempo, esforço ou dinheiro, mas que produziriam um impacto positivo enorme? A mediocridade e a mesmice dos serviços prestados por trabalhadores e empresas é tão grande, em alguns setores da economia, que muitas vezes um sorriso no seu rosto (que não custa nada) já seria suficiente para que você se destacasse.

O mundo do trabalho e das empresas está tomado pela incompetência e pela mediocridade. Estamos mergulhados em um ambiente onde as pessoas pensam pequeno e por este motivo colhem resultados pequenos. Abra os olhos, faça o básico bem feito e você será considerado um rei. Entre cegos, quem tem um olho é rei.

Eu tenho um canal pessoal no Youtube que foi criado quando coloquei o Clube dos Poupadores no ar. Isso já faz alguns anos. Este canal foi criado para publicar um único vídeo. Esse vídeo mostra o que acontece quando você faz um pequeno esforço para tornar a vida das pessoas melhor enquanto realiza o seu trabalho. Não importa se o seu trabalho é simples, você pode tornar ele grandioso. Ser um profissional que melhora a vida das pessoas, que entrega mais do que é suficiente, não é difícil, não exige muito esforço, não resulta em custos significantes. É mais custoso fazer o que é suficiente, principalmente se for mal feito. A diferença entre fazer o básico bem feito e o suficiente é enorme e vai impactar sua qualidade de vida, seu saldo bancário e a sua felicidade.

Assista o vídeo até o final antes de continuar.


Todas as pessoas, todas as coisas e todas as situações possuem um lado positivo e negativo em igual proporção. Somos programados de fábrica para olhar, pensar e falar sobre lado negativa das pessoas, coisas e situações. Você só precisa fazer o contrário, o esforço é exatamente o mesmo.

Conclusão

Se você viu o vídeo até o final, vai entender por qual motivo eu faço um grande esforço para responder os comentários que recebo aqui e no Clube dos Poupadores, nem que seja apenas para dizer “muito obrigado por deixar seu comentário aqui” ou para falar “Parabéns por ter dedicado seu tempo lendo esse artigo”. É uma coisa pequena, mas que realmente faz bem para mim e para as pessoas que recebem apoio e motivação.

Muitas vezes é você que torna a sua atividade profissional insuportável. O rapaz do vídeo tinha um trabalho monótono carimbando cartões de estacionamento e foi uma decisão dele fazer mais do que o suficiente. É a sua visão de mundo, a forma como você trata seus clientes, colegas de trabalho e chefes que produz sucesso ou fracasso profissional.

O mesmo vale para os empreendedores e profissionais liberais. Reflita se não seria você o culpado por tornar a sua empresa um verdadeiro inferno. A maneira como você lida com seus funcionários e com os seus clientes produz consequências. Elas podem ser positivas ou negativas.

Nem todo ambiente de trabalho receberá bem uma mudança positiva na sua visão de mundo. No vídeo, a moça que trabalhava no serviço público tirando fotos para carteira de motorista foi logo demitida quando resolveu mudar para melhor. Se o ambiente onde você trabalha não é favorável para uma mudança positiva, você está no lugar errado tentando fazer a coisa certa.

Se você não está satisfeito com a maneira que as pessoas tratam você no trabalho, observe no vídeo que esse modo de tratamento é um reflexo do seu. Você recebe aquilo que dá.

Se você está insatisfeito com a sua atual profissão e a origem do problema é interior, não adianta mudar de profissão. Você vai carregar a causa do problema dentro de você e as consequências negativas vão se manifestar na nova profissão. Já se você carrega virtudes e qualidades interiores, você terá sucesso em qualquer profissão. No vídeo, quando o rapaz perde o emprego de carimbador, sua visão de mundo logo faz ele ter sucesso em outra atividade profissional, na área de fotografia.

Tudo que você tem para oferecer de bom no seu trabalho, está dentro de você.
Se não existe nada dentro de você, não existirá nada para ser oferecido.
Se você não oferece nada primeiro, você não recebe nada depois.

Reflita e deixe seu comentário no final do artigo.