Se você deseja mudar de profissão ou escolher a sua primeira profissão é importante que faça pelo menos essas cinco reflexões antes de tomar qualquer decisão. Elas serão apresentadas neste artigo e tenho certeza que você escapará de muitos problemas e decepções e ainda conquistará grande sucesso e realização profissional se nortear suas decisões com essas bases sólidas.

Antes de iniciar existem dois pontos que você precisa observar.

A segunda profissão é a mais importante

Observe os seus amigos e parentes com mais de 30 anos. É muito comum encontrar pessoas que se prepararam para uma determinada carreira e que hoje estão realizando outra atividade completamente diferente. A mudança de profissão é muito comum depois dos 30 ou 40 anos. Já faz muito tempo que as pesquisas mostram essa tendência. Mais da metade das pessoas trabalham em áreas diferentes daquelas que se prepararam (fonte). Isso será cada vez mais comum e você deve se preparar.

Profissões extintas

Já existem estudos que tentam prever quais serão as profissões extintas nas próximas décadas (fonte). Creio que é muito difícil prever o impacto futuro das novas tecnologias com base na robótica, inteligência artificial e máquinas autônomas. Todas as profissões sofrerão mudanças, como já estão sofrendo, diante do surgimento das novas tecnologias. Não tenho dúvida nenhuma que muitas profissões, difíceis de imaginar, irão surgir e outras irão deixar de existir nas próximas décadas. Eu mesmo quando terminei a minha graduação em administração de empresas não imaginei que estaria hoje trabalhando como educador financeiro através da internet, escrevendo livros digitais e ajudando centenas de milhares de pessoas por mês através do Clube dos Poupadores e deste site.

Reflexão 1 – Os dois tipos de formação

A profissão que você pode seguir depende da sua formação e existem dois tipos de formação diferentes. O primeiro tipo é perecível ou temporal e se chama formação técnica. Atualmente existe uma universidade em cada esquina das grandes cidades oferecendo esse tipo de formação.

O outro tipo de formação é atemporal e não se aprende nas escolas e universidades. O problema é que ela é tão importante que será a base do seu sucesso profissional, durante a toda sua vida e em qualquer profissão escolhida. Estou falando da sua formação humana.

Por este motivo, você não deve se preocupar muito com a formação técnica (curso universitário, pós-graduação, curso técnico, etc.) O seu diploma é perecível. É claro que sua formação técnica terá utilidade no início da sua carreira profissional, mas ela não garantirá um bom futuro profissional. A formação técnica é cada vez mais perecível e temporal na era que estamos vivendo que é a era da informação.  Você deve se acostumar com a ideia de que sempre será necessário ampliar seus conhecimentos técnicos com o objetivo de se manter atualizado(a) na sua profissão ou para mudar de profissão no futuro. Já tratei deste tema aqui no Transcendência Financeira no artigo chamado Como aprender a aprender.

Mesmo investindo na sua formação técnica, sem a formação humana você terá dificuldades para crescer. Se conseguir crescer, terá dificuldades de se manter no topo.

A formação técnica potencializa o que existe de pior naquele que é deficiente em formação humana. Aquele que tem boa formação humana ficará empoderado se adquirir formação técnica, o que não tem também ficará. Quando você tem uma boa formação humana, qualquer profissão escolhida poderá ser exercida com sucesso e reconhecimento.

A sua formação humana é o conjunto de qualidades humanas que você irá desenvolver no decorrer da sua vida. O sucesso financeiro diante desse sucesso profissional será dado por acréscimo, ou seja, será uma consequência.

Exemplos da formação humana

Imagine que você precisa de um dentista. Existe um próximo do seu trabalho que é altamente qualificado e tem pós-doutorado no exterior. O problema é que ele tem fama de deixar os pacientes esperando e é grosseiro quando reclamam dos seus atrasos e da maneira desleixada que realiza os serviços. Parece ser uma pessoa muito desorganizada com sua agenda gerando grandes transtornos para todos. Neste exemplo, todo o investimento que ele fez na formação técnica perderia seu valor. Provavelmente você escolheria um dentista de formação técnica dentro da média, mas que fosse mais organizado e que respeitasse seus pacientes.

Quantas vezes você foi mal atendido em um determinado estabelecimento e depois de algum tempo observou que ele fechou as portas ou mudou de dono? Quantas vezes você deixou de comprar de uma determinada empresa ao perceber que o proprietário ou os funcionários não cumprem o que prometem, fazem propaganda enganosa, mentem, atrasam e não se importam em prejudicar a vida dos clientes?

Se entre profissionais liberais e donos de pequenas empresas os problemas de formação humana prejudicam os negócios, dentro das grandes empresas não poderia ser diferente. Quando observamos o que mais leva as pessoas a perderem seus empregos, entendemos que os problemas não são provocados por falta de formação técnica, mas sim por falta de formação humana.

Os motivos mais comuns de demissão são: desonestidade, abuso de confiança, fraude ou má-fé objetivando uma vantagem para si ou para terceiro, indisciplina, desleixo, falta de pontualidade, faltas sem justificativa, preguiça, baixa produtividade, falta de interesse em aprender e crescer, etc. (fonte).

Observe a figura. Entendeu de onde vem o vazio que muitas pessoas bem-sucedidas sentem?

Ninguém ensina essas coisas da formação técnica dentro de escolas e universidades, mas são elas que fazem milhares de brasileiros perderem o emprego todos os anos. São exatamente essas falhas na formação humana que impedem o crescimento de pequenas empresas ou fazem grandes empresas quebrarem quando seus malfeitos se tornam públicos. Muito da baixa produtividade das empresas brasileiras, quando comparamos com o exterior, tem relação com o nosso baixo nível de formação humana.

Existem outras deficiências na formação humana que são detectadas pelas empresas antes mesmo da contratação. As vezes as pessoas se formam, fazem cursos, acreditam que estão tecnicamente preparadas e não conseguem passar em nenhum processo seletivo. É possível que o problema não tenha qualquer relação com os seus diplomas ou o seu currículo. O problema está dentro de você e foi detectado no processo seletivo.

As empresas investem cada vez mais em tecnologias de recrutamento. Já existe uma linha de pensamento adotada por muitas delas que diz assim: “Contrate lentamente. Demita rapidamente”. Os processos de seleção estão cada vez mais longos e o nível de tolerância das empresas diante de deslizes, está cada vez menor. No primeiro sinal de que a pessoa tem alguma deficiência no seu desenvolvimento humano, a empresa demite imediatamente sem justa causa. Existem psicólogos e empresas especializadas em identificar vícios, virtudes, valores, inteligência emocional e toda a base de formação das pessoas.

Nem sempre é a falta de experiência do jovem que impede sua entrada nessas grandes empresas. É a falta de formação humana. A falta de experiência é a desculpa que as empresas apresentam. Para elas é mais cômodo dizer que você tem pouca experiência do que dizer que os técnicos do processo seletivo identificaram sinais de que você pode ser uma pessoa indisciplinada, mentirosa, desorganizada, que não sabe se comunicar bem, não sabe se relacionar bem com as pessoas, etc.

Para boas empresas é melhor contratar uma pessoa que demonstra ter um bom caráter, bons valores, bons princípios, que tem vontade de servir, vontade de aprender, vontade de fazer bem feito, vontade de crescer, do que contratar alguém que falha em todas essas características, mas que tem uma formação técnica impecável em grandes universidades ou alguma experiência. Para a empresa é melhor investir pesado na formação técnica de uma pessoa que tem uma boa formação humana, ou seja, tem bases sólidas. Essas pessoas são cada vez mais raras. Não faz sentido para a empresa contratar alguém que tem somente formação técnica, mas que não é honesta, ética, justa, que não queira servir, não queira aprender, não queira crescer, que coleciona vícios, cultiva maus hábitos, etc.

A formação humana é uma responsabilidade sua. Uma universidade pode transformar você em um especialista em alguma coisa. Uma empresa pode treinar você para realizar uma determinada atividade, mas somente você pode cuidar da sua formação humana. Você é o único responsável por trocar os seus vícios e defeitos por virtudes, por trocar a sua ignorância por sabedoria e por cultivar valores nobres que sejam o princípio daquilo que você faz.

Forme o homem e qualquer coisa que ele fizer, fará algo digno de um homem.

As universidades não constroem pessoas. Elas só treinam pessoas para que construam coisas ou prestem serviços. Você é o único responsável pela construção do ser humano que você é hoje e amanhã.

Se os princípios que norteiam suas ações forem bons, no momento que você se manifestar através de uma atividade profissional, qualquer coisa que você fizer tenderá a ser bem feito e você será reconhecido por isso.

Uma pessoa disciplinada, organizada, paciente e ao mesmo tempo persistente, movida por uma força de vontade que a conduza a buscar a excelência naquilo que faz, que sente gosto pelo saber e pelo fazer bem feito, que busca a verdade das coisas, que realiza seu trabalho com o objetivo de somar na vida das pessoas e não de prejudicar suas vidas, inevitavelmente terá bons resultados.

Certamente você já teve contato com empresas e profissionais que prestaram um serviço excelente, acima da média, que tornaram a sua vida um pouco melhor. Você naturalmente recomendou essas pessoas para os seus amigos e os seus parentes.

Agora faça uma reflexão. Qual foi a última vez que você foi útil para alguém e essa pessoa ficou surpreendida positivamente com você?

Meça o seu sucesso profissional pelo número de obrigados que você recebe e deixe o número financeiro ser uma consequência da gratidão das pessoas.

Se você for funcionário, meça os obrigados sinceros dos seus colegas de trabalho, dos clientes que você atende e dos seus superiores. Não tenha dúvida que mais cedo ou mais tarde isso vai aparecer em números nos seus resultados financeiros futuros. Se o seu chefe não for capaz de reconhecer um bom profissional, tenha certeza que o concorrente dele saberá reconhecer. Você provavelmente é a pessoa certa no lugar errado.

O mesmo vale para um profissional liberal ou para um empresário. Quantos obrigados verdadeiros você está recebendo dos seus clientes e dos seus funcionários por você ter tornado a vida deles um pouco melhor naquele dia? Não tenha nenhuma dúvida que os resultados financeiros da sua empresa serão uma consequência desses obrigados.

Já se você coleciona reclamações, queixas, atritos e brigas com clientes, colegas de trabalho e com o seu chefe, você está fazendo alguma coisa errada e precisando ampliar suas virtudes, valores e sabedoria para lidar melhor com as pessoas e com as situações. Certamente você tem alguma deficiência na sua formação humana que está atritando com as pessoas. É claro que para que isso funcione você precisa estar inserido em uma realidade onde virtudes, valores e sabedoria sejam desejáveis. Se você trabalha em uma empresa que mais se parece uma organização criminosa e que cultivam valores diferentes dos seus, você está no lugar errado tentando fazer a coisa certa. É responsabilidade sua procurar o seu lugar. Sua felicidade depende disso.

A formação humana é a base fundamental para que qualquer atividade profissional possa somar para a sociedade. Oferecer conhecimento técnico para pessoas sem as devidas qualidades pode oferecer um risco para a sociedade. O médico que tem ótima formação técnica e pouca formação humana, no lugar de salvar vidas, tirará vidas ou prejudicará a saúde das pessoas. Um dos maiores especialistas em reprodução humana do Brasil, por não ter prestado atenção na sua própria formação humana, está condenado a 278 anos de prisão (fonte) e obviamente teve a sua vida profissional e pessoal arruinadas. Veja exemplos recentes de políticos e empresários ricos e famosos que foram presos envolvidos em situações que foram provocadas por deficiências nas suas formações humanas. Eram pessoas tecnicamente qualificadas, mas cheias de deficiências e debilidades no tipo de formação mais importante. Suas carreiras estão arruinadas, mas antes disso conseguiram prejudicar um país inteiro e carregarão essa pertubação na consciência para sempre.

Platão, filósofo grego, defendia a ideia de que antes de transmitir o conhecimento era necessário avaliar o nível de desenvolvimento humano da pessoa para que o conhecimento não potencializasse o que a pessoa tem de pior.

Imagine se além do vestibular, as universidades avaliassem se você é uma pessoa que tem os atributos éticos, morais e de desenvolvimento humano que te permitem fazer um bom uso do conhecimento que será transmitido no curso. No mundo antigo, eles entendiam o poder do conhecimento.

Hoje, qualquer um pode adquirir qualquer conhecimento. Você teve a sorte de nascer no único momento histórico da humanidade onde o conhecimento está acessível para todos, muitas vezes de forma gratuita ou custando muito pouco. O nosso maior problema hoje é a qualidade. A qualidade do conhecimento. A qualidade das pessoas que transmitem os conhecimentos e a qualidade das pessoas que adquirem esses conhecimentos.

A Parte 2

Leia a segunda parte desta série de artigos visitando aqui.